BG_Seção1.png
  • Terraw Embalagens

Tipos de embalagens para delivery


Se você já prestou atenção nas embalagens do delivery de comida, certamente já percebeu que existem diversos tipos diferentes. Com tantas opções é difícil saber o que é realmente sustentável e o que não é.


Pensando nisso, criamos esse guia que explica um pouco de cada material utilizado em embalagens para delivery e quais são suas vantagens e desvantagens.


Plástico


O plástico se tornou o grande vilão quando o assunto é lixo. É importante entender, porém, que o maior problema não é o material em si, mas sim a maneira como o utilizamos. Usar o plástico como material de embalagens descartáveis não faz sentido, pois utilizamos por minutos um produto que dura centenas de anos.




Segundo a WWF, o Brasil é o quarto maior produtor de lixo plástico do mundo, produzindo mais de 11 milhões de toneladas por ano. Estima-se que 50% desse plástico seja de embalagens descartáveis, ou seja, aquele plástico que é usado apenas uma vez e já se torna lixo. Infelizmente, apenas 1,2% de todo esse resíduo é reciclado e a imensa maioria dele permanece no meio-ambiente. Grande parte desse plástico se fragmenta gradualmente e se torna o que chamamos de micro plástico, poluindo os oceanos e estando presente no nosso alimento e até na água que bebemos, segundo a Organização Mundial da Saúde.




Vantagens:

Preço baixo


Desvantagens:

Matéria-prima não renovável

Não é biodegradável

Parcela muito pequena é reciclada



Isopor


A primeira coisa pra se saber sobre esse material é que ele simplesmente é um tipo de plástico. Então, quando o assunto é isopor, o cenário também não é positivo. Segundo a UFRGS, consumimos 36,6 mil toneladas de isopor anualmente. Esse material não é biodegradável e seu tempo de degradação é considerado indeterminado. Além disso, apesar de ser um material reciclável, ele quase não é reciclado hoje em dia no Brasil devido à dificuldade logística e por não ser viável economicamente.


Vantagens:

Isolante térmico


Desvantagens:

Matéria-prima não renovável

Não é biodegradável

Parcela muito pequena é reciclada



Bioplástico


Hoje em dia, se fala muito no bioplástico, também chamado de PLA ou de plástico biodegradável, como solução para a substituição do plástico convencional. A maior diferença entre os dois é a origem da matéria-prima: enquanto o plástico convencional é feito de petróleo, o bioplástico é feito de fontes renováveis, como o amido de milho, por exemplo.


O que muita gente não sabe, é que o bioplástico possui desvantagens quando se fala em sustentabilidade. O bioplástico é sim biodegradável; porém, apenas em condições ideias em um ambiente controlado. Explicando melhor, o bioplástico só vai se decompor se for destinado a uma usina de compostagem com temperatura e pressão específicas. Isso significa que, se esse material vai parar em um aterro sanitário, em um rio, no oceano ou em qualquer outro lugar na natureza, ele não se decompõe e pode durar centenas de anos no meio-ambiente.





Infelizmente, sabemos que o serviço de coleta e destinação de lixo no Brasil ainda está muito atrás no quesito de sustentabilidade. A maioria dos resíduos orgânicos ainda não é destinada para centros de compostagem, o que torna o bioplástico uma solução incompleta para o problema.


Vantagens

Matéria-prima renovável

Biodegradável (em condições ideias)


Desvantagens

Se não for destinado corretamente, não se

degrada



Papel


Outro material muito utilizado hoje em dia para embalagens de alimentos é o papel. Apesar de ser uma alternativa melhor que o plástico e o isopor quando se fala em sustentabilidade, a produção de papel também pode gerar impacto ambiental.


O papel tem como sua matéria-prima a celulose, extraída de dois principais tipos de árvores: pinus e eucalipto. Atualmente, principalmente através de certificados como o FSC, controla-se a origem da matéria-prima, para que se tenha a certeza de que vem de áreas de reflorestamento e não de exploração de mata nativa.

Em relação à biodegradação, o papel em si é biodegradável. O maior problema é que a maioria das embalagens de papel feitas para serem usadas com alimentos tem um película plástica para barrar umidade e gordura. Essa película normalmente é feita de PE, um plástico convencional não sustentável.


Outro ponto que pode ser negativo em relação às embalagens de papel é seu alto nível de personalização. Muitas vezes, essa personalização significa muita tinta, que, geralmente, tem metais pesados em sua composição. Isso pode, por exemplo, fazer com que uma embalagem que poderia ser compostada não possa mais ser.


Vantagens

Matéria-prima renovável

Biodegradável (se não for revestido de plástico)

Alguns podem ser compostados ou reciclados


Desvantagens

Produção pode usar muita água e químicos

Pode conter muita tinta



Vidro


Um material reutilizável que algumas empresas estão usando nos seus deliverys é o vidro.

O vidro sempre foi considerado um material sustentável, pois ele pode ser reutilizado e reciclado inúmeras vezes. Quando o assunto é comida, isso não é diferente.


O que alguns restaurantes estão fazendo é cobrar pelo pote de vidro e ressarcir o cliente caso ele devolva. É claro que alguns clientes podem querer ficar com o pote para reutilizá-lo em casa e, nesse caso, não precisariam devolvê-lo.





Porém, um dos maiores desafios do vidro é logístico. Por ocupar muito espaço, ser pesado e quebrar facilmente, o vidro é um problema no estoque dos restaurantes. Pelos mesmos motivos, é um desafio na logística reversa e na destinação para a reciclagem.


Vantagens

100% reciclável

Reutilizável


Desvantagens

Ocupa muito espaço

Quebra facilmente

É pesado



Fibras de planta


O material que acreditamos ser a melhor solução para embalagens de delivery hoje em dia é a fibra de plantas, como bambu, palha de trigo e bagaço de cana.


Muitas vezes, essas fibras são sub-produtos, ou seja, são sobras que não seriam aproveitadas em outros processos produtivos. O bagaço de cana, por exemplo, é um sub-produto da indústria do açúcar e do etanol, por exemplo. Já a palha de trigo, é uma sobra do plantio e colheita do trigo.



Atualmente utiliza-se essas matérias-primas para a produção de embalagens sustentáveis. Por serem compostas de insumos naturais, esses produtos são biodegradáveis e compostáveis, sendo condizente com a utilização de uso único. Além disso, essas embalagens também podem ser compostadas em um composteira doméstica, facilitando a logística do resíduo pós-consumo.


Com o descarte correto, as substâncias do produto voltam para a terra em forma de adubo orgânico, completando o ciclo e nutrindo essa terra para um novo ciclo produtivo, conforme os princípios da economia circular.



Vantagens

Matéria-prima renovável

Feita de sub-produtos

Biodegradável e compostável


Desvantagens:

Não é reutilizável


Conheça as embalagens feitas de fibras de plantas da Terraw.


Conclusão


Sabemos que tantas opções e poucas especificações sobre cada uma nos deixam confusos sobre a sustentabilidade dos materiais. Além disso, cada tipo de comida tem suas particularidades e necessidades diferentes. Portanto, nossa dica é: pesquise e entenda que tipo de embalagem é mais adequada para seu negócio. Esperamos que esse guia tenha ajudado você a entender um pouco melhor sobre o assunto e qualquer dúvida que tiver, entre em contato com a gente!


502 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
BG_Seção5.png

Novidades Terraw!

Para receber um aviso sempre que postarmos novos conteúdos, deixe seu contato com a gente :)

Obrigado pelo envio!